Impasse sobre votação do Código Florestal leva a Câmara adiar votação da Lei Geral da Copa

A votação da Lei Geral da Copa foi adiada em função da não definição da data de votação do novo Código Florestal. A oposição quer atrelar a votação da Lei da Copa à votação do código. Para tentar uma saída para o impasse, os líderes partidários acertaram com o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS).

“Teve entendimento no Colégio de Líderes de que vamos dar 24 horas para discutir e debater melhor o tema do Código Florestal. Não há problema para votação da Lei Geral da Copa. Há entendimento, inclusive, dos procedimentos que devem ser tomados para a votação”, explicou Marco Maia.

Já em relação à votação do código, Marco Maia disse que há problemas que precisam ser solucionados antes de a matéria ser levada à votação. “Temos problema para votação do novo código. Há uma divergência ainda na base, também com a oposição, que vamos ter que costurar até amanhã para poder garantir com maior tranquilidade a votação da Lei da Copa”, disse Maia.

O presidente da Câmara informou que se não houver entendimento entre a oposição e o governo em relação à votação do Código Florestal, ele irá marcar a data para votação do código. “Mas vou dar esse tempo ao governo para que ele possa unificar sua posição e aí vou marcar a data que pode ser em abril, pode ser ainda em março. Vamos ver qual a data melhor para se votar”, declarou.

Para o líder do governo, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), o passo mais importante para a votação da Lei Geral da Copa foi dado hoje ao se fechar um acordo com os líderes da base governista em torno do texto a ser aprovado. Mas, como existe a polêmica em torno da votação do Código Florestal, segundo ele, foi feito o acordo para adiar a votação da Lei da Copa.

“Encaminhamos com os líderes do governo que vamos montar, ainda esta semana, uma mesa de discussão do mérito [do Código Florestal] entre os líderes da base e do governo. Porque é verdade que a polêmica está em torno de um item apenas, mas precisamos medir todas as consequências caso o resultado de votação seja esse ou aquele”, disse.

Segundo Chianglia, é preciso levar em consideração a questão da produção, do meio ambiente, as futuras gerações e também a Rio+20. “Estamos procurando ajustar tanto na base como na oposição para produzir o melhor. A discussão do mérito é para definir até onde é possível chegar na discussão do código”.

De acordo com o líder do PSDB, deputado Bruno Araújo (PE), nem a própria base governista aceita votar a Lei da Copa sem ter uma data marcada para a votação do Código Florestal. Araújo disse que a oposição quer que o presidente Marco Maia defina uma data para a votação do código e seja avalista desta data para que então eles possam votar a Lei Geral da Copa.

Fonte:Agência Brasil

Anúncios

Sua opinião é muito importante para nós.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s