Governo estuda aumentar gasolina neste ano, diz ministro

O ministro Edison Lobão (Minas e Energia) reconheceu nesta quarta-feira (8) que o governo estuda aumentar o preço da gasolina neste ano. A “maior preocupação”, ressaltou o ministro, é com o impacto da medida na inflação do país.
“Nós temos que pesar (…) de um lado a necessidade de fazer [o reajuste], de outro lado a preocupação com o processo inflacionário”, afirmou em evento da Presidência da República.
Segundo Lobão, “existe a possibilidade” de aumento neste ano, mas ainda “não existe a decisão”. “O governo gostaria que esperasse um pouco mais, porém a necessidade é tão grande que o governo pode vir a ceder”, ponderou.
O ministro também se referiu ao prejuízo enfrentado pela Petrobras –o valor foi de R$ 1,3 bilhão no segundo semestre. A presidente da estatal, Graça Foster, ressaltou ontem que a defasagem entre o preço da gasolina no mercado doméstico e no exterior não foi a principal razão para o valor negativo.
Lobão afirmou que o aumento seria importante para ajudar a situação da empresa. “Não vislumbramos nenhum instrumento que socorra a Petrobras se não o aumento.”
O valor do reajuste ainda é alvo de avaliação entre os ministérios da Fazenda e de Minas e Energia, afirmou.
AÇÕES DA PETROBRAS
As ações da Petrobras operavam em forte alta nesta quarta-feira, repercutindo a fala do ministro sobre a possibilidade de mais um aumento no preço da gasolina neste ano.
Os ganhos nos papéis da estatal, contudo, também seguiam tendência registrada desde que a Petrobras fez uma espécie de “faxina contábil” após anunciar o primeiro prejuízo em mais de 13 anos, e depois de a diretoria reafirmar que buscará novos aumentos nos derivados em busca da paridade para os preços do combustíveis, segundo analistas ouvidos pela Reuters.
Pouco antes das 17h, o papel preferencial subia 4,44%, a R$ 21,15, e o ordinário tinha alta de 5,42%, a R$ 22,14. Enquanto isso, o principal índice de ações da Bovespa subia 1,98%.
ÁLCOOL NA GASOLINA
O ministro afirmou no mês passado que o governo federal pretende aumentar o percentual do álcool na gasolina de 20% para 25% assim que a produção nacional de etanol superar os patamares atuais.
Sem dar mais detalhes, Lobão disse que se a produção se mantiver nos níveis verificados neste e no ano passado, não será possível ampliar o percentual de álcool na mistura.
O ministro, no entanto, deu a entender que isso pode estar próximo de acontecer ao dizer que a mudança poderá ocorrer a qualquer momento.
COMPARE
As oscilações no preço do álcool e da gasolina exigem que o consumidor que tem um veículo flex faça as contas antes de decidir qual combustível irá usar. Para ser mais vantajoso, o etanol deve custar menos de 70% do preço da gasolina.
Sempre que o álcool ultrapassar esse percentual, o motorista ganha se optar pela gasolina.
No simulador abaixo, onde o motorista pode fazer a comparação.
É possível fazer a conta dividindo o preço do etanol pelo da gasolina. Com resultados inferiores ou iguais a 0,70, escolha o álcool; caso contrário, a gasolina.
Anúncios

Sua opinião é muito importante para nós.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s