Estudo mostra que baixa diversidade genética prejudica a reprodução das Coalas

Uma pesquisa da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, em conjunto com o Instituto Smithsonian (também nos EUA), com o Instituto de Pesquisa da Vida Selvagem de Leibniz, na Alemanha, e com o Museu de História Natural da Dinamarca constatou que a diversidade genética dos coalas é baixa e que o efeito ocorre há mais tempo do que se supunha, o que pode prejudicar a espécie.

A pesquisa foi publicada nesta terça-feira (23) no periódico científico “BMC Genetics”. O animal, um marsupial australiano encontrado em árvores, sofreu forte declínio em sua população entre os séculos 19 e 20, de acordo com o estudo. Os principais motivos de morte dos coalas foram destruição de seus habitats, a caça e as doenças, afirmam os cientistas.

A baixa diversidade genética em populações de animais pode indicar que eles estão se reproduzindo entre irmãos e parentes próximos, e o efeito os torna mais vulneráveis a doenças, de acordo com a pesquisa. Eles também têm menos chances de se adaptar a diferentes cenários, como o aquecimento global e a destruição dos habitats, ainda segundo os cientistas.

Os pesquisadores acreditavam, até agora, que encontrariam baixa variação genética entre os coalas modernos, mas que haveria uma diversidade razoável na comparação destes com espécimes de séculos anteriores preservados em museus.

Para fazer o estudo, foi comparado o DNA mitocondrial de coalas modernos com 14 animais preservados em diferentes museus espalhados pelo mundo. Apesar de estarem localizados em regiões distantes entre si, os coalas conservados apresentaram material genético parecido com o dos bichos atuais.

O resultado sugere que a variação genética nos coalas foi reduzida há milhares de anos, provavelmente entre períodos conhecidos como Pleistoceno Superior e Holoceno, segundo o pesquisador Alex Greenwood, um dos autores do estudo e cientista do instituto alemão.

“Nós pensávamos que, como outras espécies [de animais] cujas populações diminuíram muito recentemente, haveria uma diversidade maior nos exemplares [de coalas] de museus do que entre os espécimes modernos. Descobrimos que isto não é verdade. O evento que reduziu a variação genética dos coalas deve ter ocorrido há muito tempo atrás”, afirmou Greenwood no estudo.

Fonte: G1

Anúncios

Sua opinião é muito importante para nós.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s