Mais de 500 anos depois, Cabral continua a expulsar índios de suas terra

RJ: Tumulto marca a retirada de índios da Aldeia Maracanã. Local será destinado a instalações dos próximos eventos esportivos no Rio de Janeiro.

O tumulto envolvendo policiais, índios e manifestantes marcou a desocupação, nesta sexta-feira, do prédio do antigo Museu do Índio, habitado desde 2006 por diferentes etnias. Segundo Daniel Macedo, defensor público da União, um pequeno grupo havia pedido à polícia mais 10 minutos dentro do antigo museu para a realização de um ritual, que incluiria uma fogueira. “Nesses 10 minutos houve uma antecipação que não poderia haver (por parte da polícia)”, disse o defensor, que afirmou que homens do Batalhão de Choque utilizaram gás de pimenta “sem necessidade”.

4

 

5

Macedo disse ainda à BBC Brasil que “as Defensorias do Estado e da União vão analisar as melhores medidas pela prática eventual de um ato de abuso de autoridade (por parte da polícia), vamos fazer uma análise ponderada, com provas documentais, para apurar responsabilidade”.

Após muita confusão regada a bombas de efeito moral, balas de borracha e spray de pimenta lançados por agentes do Batalhão de Choque, os índios foram conduzidos ao “Hotel” Acolhedor Santana II, um abrigo de moradores de rua que é administrado pela prefeitura.

6

O Prédio Histórico

Inicialmente o espaço da Aldeia Maracanã seria destinado para estacionamento Estádio Mário Filho, o famoso Maracanã. Entretanto no local encontra-se uma importante construção da cidade que data de 1862, infelizmente abandonada pelo Estado. Hoje, o governador divulgou que em nota à Época que “o Estado ouviu as considerações da sociedade a respeito do prédio histórico, datado de 1862, analisou estudos de dispersão do estádio e concluiu que é possível manter o prédio no local”.

Construído em 1862, o edifício alvo da disputa abrigou o antigo Serviço de Proteção ao Índio – fundado pelo marechal Cândido Rondon em 1910 – e o Museu do Índio. Desde 1978, no entanto, o prédio ficou abandonado e foi ocupado em 2006 pelos membros da chamada Aldeia Maracanã.

Atualmente o prédio será destinado à criação do “importantíssimo” Museu Olímpico. É inegável a importância de um Museu Olímpico, mas e um espaço de reconstrução da memória indígena  Nossa história indígena! Tal fato não surpreende, tendo em vista como lidamos com os índios desde 1500. Aqui valorizamos mais as Olimpíadas que as Pessoas que ajudaram a construir nossa história, Pessoas que caminharam, suaram e morreram sobre nosso solo, e assim vemos se repetir no Rio de Janeiro as atrocidades de Belo Monte, com os Guarani-Kaiowa e muitas mais.

Manifestações em redes sociais

1

 

 

2

 

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=jxrZLuAgJo4

 

Fonte: BBC Brasil

Redação Ambientalistas em Rede

 

Pense nisso. Divulgue essa informação!

3

 

 

Anúncios

Sua opinião é muito importante para nós.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s